Envie-nos uma mensagem

Newsletter Bijutarias.com

Mantenha-se informado sobre as novidades do Bijutarias.com!

Subscribe to Newsletter Bijutarias.com feed

Should Love Craft

Should Love Craft

A grande ambição de Inês Carvalho sempre foi design de moda, no entanto, optou por licenciar-se noutra área do design, igualmente apelativa, mas bastante mais “segura” em termos de saídas profissionais. A ideia era depois fazer uma pós-graduação em moda e tentar a sorte no estrangeiro. Ingressou no Curso de Design Geral na Universidade Lusíada de Lisboa, mas acabou por desistir e entrar para Design e Multimédia na Universidade de Coimbra, no ano seguinte. Foi nessa altura que Inês se deparou com um ano inteiro pela frente, com demasiado tempo livre… e sabia que não podia ficar parada! 

Foi trabalhando pontualmente durante esses 12 meses, até que pensou: porque não criar alguma coisa minha? Confessa que “o meu desejo principal seria criar roupas, mas vergonhosamente, ainda não 'fiz amizade' com a máquina de costura.” Não desistiu e também ponderou a falta de oferta: coisas que surgem numa pesquisa de imagens no Google e que não encontramos facilmente ou se encontramos é da marca x e tem um preço completamente inacessível…

“Pensei em muita coisa. Mas, acima de tudo, pensei em criar alguma coisa, alguma coisa que esteja dentro da área que ambiciono alcançar um dia. Em deixar uma pequena marca minha, do que eu pensei e criei, ou pelo menos do que eu fiz, nas outras pessoas.” E foi assim que nasceu o projeto de bijutaria Should Love Craft – “o nome foi daqueles dados a escolher em janelas de chat com os amigos: ‘Olha, este nome ou este?’. “Esse!’. ‘Também acho, fica este’. Acabou por mostrar um enorme potencial. Tanto para trabalhá-lo a nível de logotipo, como para jogar com significados.”

A inspiração por de trás das golas, pulseiras e colares que são a imagem de marca do projeto Should Love Craft estão imagens que Inês vai encontrando ao acaso na Internet, mas também marcas como Missoni, Venessa Arizaga, Ettika, Batika, juntamente com aquilo que vai vendo em lojas, coisas que gosta e que gostaria de ter, coisas que simplesmente se lembrou de fazer…

Quando cria as suas peças de bijutaria, Inês está a criar para “quem as quiser agarrar.” Já pensou em fazer coleções mais sóbrias para pessoas mais adultas e até mais infantis para crianças. Mas, para isso, precisa de tempo. E isto porque o tempo necessário para criar cada peça é muito variável – há pulseiras que se fazem em 20 minutos. Mas há outras que chegam a levar 40 minutos ou 1 hora. Quanto às golas, se houver inspiração, demoram 1 ou 2 horas a ficarem prontas mas, se não houver inspiração, o trabalho pode estender-se pela noite dentro. As clutches, essas requerem 1 hora de trabalho, mais o tempo necessário para secarem e receberam uma nova camada de cor.

O resultado são peças expressivas, ideais para oferecer a gente de quem gostamos… ou o nome do projeto não envolvesse amor (Should Love Craft)! As peças de Inês Carvalho são ainda perfeitas para dar uma lufada de ar fresco a qualquer visual – um acessório marcante transforma um top básico e uns jeans num excelente outfit. Segundo Inês, “por vezes, os acessórios acabam por saltar à vista em primeiro lugar, e modificar a aparência da pessoa na totalidade.” E este ano (2012), querem-se os braços cheios de pulseiras! Ou uma 'cuff bracelet' em cada pulso!

Quando questionada acerca da sua peça de bijutaria preferida, Inês respondeu assim: “É difícil. Os brincos não podem faltar. Os anéis, quanto mais e mais diferentes, melhor. Quanto aos colares e pulseiras… não prescindo deles mas, lá está, dependendo da 'carga' que o 'outfit' necessita, uso-os ou não.”

As pérolas – colar e brincos – são, para Inês, a bijutaria mais intemporal de todas, dizendo mesmo “há dias em que estou com a minha mãe, irmã e avó ao mesmo tempo, e estão ali 3 gerações, 4 mulheres a usar pérolas!”

Apesar da grande paixão e dedicação que nutre pelo Should Love Craft, este projeto acaba por ser apenas um passatempo na vida de Inês Carvalho, mas isso não significa que não pensa no seu futuro – aliás, quer dar-lhe a máxima projeção possível:

“As ambições são várias: em primeiro lugar, criar uma linha de pulseiras apoiando uma instituição de crianças, cuja parte das receitas revertesse em prol da mesma. Em segundo lugar, apoiar novos fashion bloggers que tentam singrar e ganhar visibilidade. Por exemplo, através dos passatempos; e, por último, gostaria de lançar campanhas que dessem mais diversão à página e mesmo às seguidoras do Should Love Craft, assim como giveaways. Gostaria também, assim de uma forma pouco pensada ainda, de criar um blog em paralelo de DIY – Do it Yourself. Para quem não conhece, um blog de tutoriais de como fazermos as nossas próprias coisas: bijutarias inclusive, modificações em roupas, carteiras, decorações, etc.”

Apesar dos planos para o futuro, há que olhar para a concorrência que surge diariamente no mundo da bijutaria… embora Inês Carvalho nunca tenha dedicado muito tempo ao assunto: “Gosto de ver os trabalhos dos outros, mas se surgir. Cada um sente de forma diferente em relação àquilo que faz, aquilo que pretende, aquilo que pensa. Mas acho que todos nós fazemos o melhor que podemos com o que podemos. Claro que aparecem sempre coisas parecidas, mas no fundo as mãos, a cabeça e a intenção de quem parte a criação, marca a diferença imediatamente. Tento ser a mais atenciosa que posso, estar em todo o lado ao mesmo tempo, e responder a toda a gente ao mesmo tempo. Ser simpática, acessível e rápida. Sinto-me 100% comprometida e preocupada com os pedidos e com as pessoas, e sinto uma grande responsabilidade e medo de falhar de alguma forma. Faço o que gosto e o que eu própria gostaria de usar, o que imagino na minha cabeça, e o que um dia a ver-me ao espelho antes de sair penso "Ficava mesmo bem aqui aquilo assim, assim e assim.”~

Para satisfazer a curiosidade, nada como espreitar as peças Should Love Craft na sua página no Facebook.  

Inês Carvalho não hesita em deixar algumas palavras para quem, como ela, tem vontade de lançar um projeto de bijutaria:

“É preciso haver vontade de criar. Mais ainda que vontade, iniciativa. Saltar do sofá, deixar de ter medo da aceitação dos outros, deixar de ter medo de falhar ou de fazer pior figura. O ser humano tem mais capacidade de acarinhar e de suportar do que imaginamos. Tenho-o sentido desde que criei isto, e admira-me muitas vezes. Vai sempre haver quem goste, ou não goste. Mas a iniciativa de criar é superior a tudo isso. Claro que também é preciso grande consciência de compromisso e responsabilidade, muito mais quando as coisas funcionam por Internet.”




Adicionar comentário

Inicie sessão ou registe-se para publicar comentários